"Reino Unido se tornou a União Soviética", diz Morrissey

 

O ex-frontman dos Smiths vem recebendo críticas por apoiar partido de extrema direita britânico, conhecido por ter políticas consideradas racistas e xenófobas


Morrissey continua gerando polêmica, desta vez o Ex-Smith publicou em seu site uma réplica a um artigo intitulado “Boca Grande Ataca De Novo e De Novo: porque os fãs de Morrissey se sentem tão traídos”, lançado pelo Guardian na última semana.

Além de criticar o jornal, o músico ainda falou que "Reino Unido se tornou a União Soviética" , e agradeceu aos fãs pelo apoio que teve ao lançar California Son, seu novo disco, há pouco mais de uma semana.

O ex-frontman dos Smiths tem se mostrado abertamente seu apoio ao partido de extrema direita britânico For Britain, conhecido por ter políticas consideradas racistas e xenófobas.
“Por causa da exaustiva campanha de ódio movida contra mim pelo The Guardian e seus seguidores, fico feliz com a posição de California Son nas paradas do Reino Unido. Vale a pena prestar atenção no fato de que o principal antagonista nesta Campanha de Ódio é alguem que processei há anos por escrever mentiras sobre mim. Ele perdeu o processo, e agora busca vingança pessoal usando o jornal, que tem assediado todo mundo que tem contato com minha música, implorando para que eles digam algo terrível sobre mim para poderem divulgar”, escreveu.

“Isso é a cara da Britânica Soviética. Por favor, não comprem esse jornal de ódio, em que cada chamada em 2019 ecoa as palavras da falecida Mary Whitehouse [ativista britânica]. Porque essa é a voz de tudo que tem de ruim e triste na nova Bretanha”, completou.


O posicionamento político do músico fez que ele recebesse várias críticas de fãs e da 
loja de músicas mais antiga do mundo, que vai deixar de vender seus discos) .