Gomalakka une celebração e melancolia em disco de estreia “Quem Vai Ficar Até o Fim da Festa”



Banda une pós-punk e indie pop em álbum que comemora quase 15 anos de história
 


A efemeridade da alegria e a realidade pesada que precisamos enfrentar todos os dias inspirou o álbum de estreia da banda paulistana Gomalakka. “Quem Vai Ficar Até o Fim da Festa” reflete as mudanças políticas e sociais dos últimos anos com um olhar de um projeto que amadureceu nos palcos e que preparou calmamente o seu debut. Com produção musical de Bruno Pinho, o disco está disponível em todas as plataformas de música digital.

Formada em 2005, a Gomalakka une eletrônico, pós-punk, indie e experimentalismo e conta atualmente com Ciça Bracale (voz e letras), Ale Vergueiro (bateria e percussão), Renato Maia (teclados), Flavien Arker (baixo) e Rodolfo Martins (guitarra). Na sua discografia, eles já trazem o EP “Lá Em Cima” (2016), além dos singles “Pixe” (2015) e “Ressaca Moral” (2016).

“O álbum chega num momento em que existe uma vontade da banda de, por um lado buscar novas sonoridades, para além do tom festivo, e por outro de responder ao contexto externo em que estamos vivendo. Muita coisa mudou durante esses 14 anos de existência, até mesmo os significados de algumas letras compostas aos 20 anos de idade. Desta forma, entendemos que é um momento de amadurecimento e transição da banda, que se vê refletido nas escolhas das músicas que compõem o disco”, analisa Ciça Bracale.




O álbum foi todo pensado com duas camadas - uma que caminha de acordo com a temática das letras, e outra que guia o clima do disco como um todo, indo do início de uma festa (no prólogo “Fiat Lux”) até o dia seguinte, com os efeitos dos erros da noite anterior e o clima de ressaca (na pesada e introspectiva “Gravidade”). Tudo isso criando uma ponte entre a história da banda e os dias atuais.

“Essa macronarrativa faz referência ao contexto político e social que vem se deflagrando nos últimos tempos e, em um nível mais íntimo, com a própria história da banda, cheia de altos e baixos. E o disco traz momentos intensos e outros mais introspectivos, e mesmo de dúvida, que também dialogam com o título”,
conta Ciça Bracale.

O disco traz faixas nunca lançadas do passado, singles recentes e canções inéditas até para o público fiel. Cheio de pequenas referências que vão de samples de entrevistas e citações literárias, “Quem Vai Ficar Até o Fim da Festa” foi gravado no StudioDb por Gustavo Simão, produzido e mixado por Bruno Pinho, masterizado no Studio Dissenso, com apoio do selo independente Howlin Records e da Cérebro Surdo Produções. O disco está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “Quem Vai Ficar Até o Fim da Festa”: